O Curso de Música Moderna Nivel 2 caracteriza-se por serem mais intensivos, oferecendo a possibilidade de uma experiência de ensino mais completa e personalizada.

O “Diploma for Music Practitioners” de nível 2 é um curso prático onde, para além da aprendizagem do instrumento, o aluno desenvolverá competências em performance, produção e tecnologia musical, teoria musical, conhecimentos de diferentes estilos musicais, bem como atuar em vários projetos e concertos. Todo o curso é suportado pela nossa equipa de formadores experientes e ativamente envolvidos na indústria.

A RockSchool Porto proporciona a oportunidade de estudar numa escola totalmente equipada, possibilitando o desenvolvimento de conteúdos originais relacionados com performance e produção. O encorajamento na participação em projetos do "mundo real" está sempre presente, o que permite aos alunos apresentarem o seu trabalho em público.

A conclusão deste curso viabiliza a progressão para o curso de Nível 3 da nossa escola, que visa a preparação para um futuro na indústria musical ou para prosseguir o ensino superior.

DURAÇÃO

3 Anos

REGIME

Part-Time

METODOLOGIA

Presencial

CERTIFICAÇÃO

RSL Awards

INÍCIO

Outubro 2021

Responsive image
MÓDULOS
CÓDIGO QUALIFICAÇÃO [VQ]

601/7992/2

CRÉDITOS

80

REQUISITOS DE ADMISSÃO

Grau mínimo de instrumento: 3º

Entrevista/Audição onde o candidato deve demonstrar as suas motivações e aptidões.

Este módulo tem como objetivo melhorar a capacidade técnica do formando no instrumento, bem como, criar uma rotina de trabalho entre formando e formador, adaptada e desenhada de acordo com as necessidades específicas individuais que surgem. Serão abordados assuntos como equipamentos e material, desenvolvimento técnico, adaptação estilística, improvisação e leitura.

Neste módulo será abordado o trabalho em conjunto, materializando-se este na preparação de apresentações em concerto. Será desenvolvido um método que aborda formas de lidar com o público, apresentação e postura em palco e trabalho colaborativo (composição e técnicas de ensaio). No final da unidade os candidatos terão desenvolvido as suas competências nas áreas da Performance, das suas competências nos instrumentos respetivos, na área da saúde e segurança no palco, na comunicação e na sua capacidade de análise e autoanálise.

Este módulo terá o propósito de ensinar e praticar o ensaio enquanto forma de preparar um espetáculo, performance ou gravação. Serão abordados assuntos como a criação de um plano de ensaios, gestão de relacionamentos, gestão de objetivos a curto e longo prazo e registo audiovisual de ensaios. É um módulo desenhado para criar nos candidatos capacidade de avaliação e autoavaliação nesta área, de forma a melhor otimizar o tempo de todos os envolvidos.

Este módulo terá o propósito de educar o formando em diversas áreas complementares à da sua formação no instrumento. Serão cobertos temas como improvisação, leitura e notação, ferramentas indispensáveis para a comunicação com outros músicos ou compositores e essenciais para a integração no competitivo mercado da música. Através de exercícios práticos e de uma bibliografia cuidadosamente selecionada, o formando poderá praticar o seu ouvido interno, praticar o seu reconhecimento de intervalos e acordes, melhorar as suas capacidades rítmicas, as suas capacidades de leitura à primeira vista, e tornar mais intuitivo todo o processo de tocar o seu instrumento.

Neste módulo os formandos ganharão competências na área da gravação e sequenciação musicais, assim como noções nas áreas da produção, mistura e masterização. O objetivo deste módulo é o de fornecer aos formandos independência para que os mesmos possam registar as suas próprias ideias, experimentar arranjos e composições, ou até mesmo gravar os seus próprios registos e prepará-los para a sua publicação independente. Terá como principal vantagem a familiarização com os equipamentos e plataformas de gravação (DAW) que lhes permitirá, de futuro, operar o seu próprio estúdio - seja em casa, num local próprio ou até numa sala de ensaios.

Com este módulo o formando praticará a sua escuta ativa e, através da educação auditiva, alargará a sua cultura musical e compreensão da história da música moderna. Os formandos construirão uma perspetiva pessoal e informada sobre a história da música até aos dias de hoje, elaborando análises estilísticas e enquadrando os mais importantes trabalhos discográficos que influenciaram os artistas de hoje.

Neste módulo abordar-se-á a vasta área da Harmonia enquanto campo responsável pela edificação de uma base musical. Haverá uma carga teórica valiosa, passando por áreas como Chord voicings, voice leading, escrita coral, Melodia (contra-ponto, contorno melódico, sequências e motivos) e Ritmo (leitura rítmica, poliritmos, compassos simples e compostos).

Módulo que aborda a composição e arranjo da música, assim como toda a carga teórica adjacente a estas áreas. Na primeira metade desta disciplina o trabalho executado será mais individual, para mais tarde ser aplicado em metodologias de conjunto Serão abordadas áreas como a da História da Música e métodos de composição aplicados a diferentes estilos (Clássico, Jazz, Pop, Rock, entre outros).

FORMADORES
Thumbnail [100%x225]
Francisco Rua
Francisco Rua

Começou os seus estudos na área da guitarra clássica aos 10 anos de idade, e mais tarde descobriu a guitarra e baixo elétricos, assim como a guitarra acústica de cordas de aço. Estudou com nomes como Thomas Leeb ou Don Ross, e já frequentou formações com músicos como Guthrie Govan e Tom Quayle. Formou-se em Design de Som, tendo-se especializado na composição de música para Cinema. Já escreveu música para marcas como a Clinique ou a Schmitt+Sohn. Acabou por se afastar da área para se focar no ensino. Em 2010 editou o disco de guitarra a solo Pontes, e em 2018 Desassossego. Já apresentou a sua música um pouco por toda a parte.

Thumbnail [100%x225]
Pedro Vieira
Pedro Vieira

Licenciado em Educação Musical pela Escola Superior de Educação do Porto e em Produção e Tecnologias da Música pela Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo. Estudou na Academia de Música de Lamego, no Conservatório de Música do Porto e na Escola de Jazz do Porto. Atualmente para além da sua atividade como professor, participa em diversos projetos musicais como músico, produtor, engenheiro de gravação e mistura.

Thumbnail [100%x225]
Diana Martinez
Diana Martinez

​ Formada em Línguas pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto estudou ainda na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto e no Complete Vocal Institute, de Catherine Sandolin, em Copenhaga. Canta e escreve na língua que a ensinou a cantar. Colaborou com artistas de renome nacional como Pedro Abrunhosa, Expensive Soul, Valete, We Trust e Souls of Fire, mas é com os The Crib que Diana procura o seu lugar na música portuguesa. Lançou em 2017 o seu primeiro disco de originais “How We Do It”.

Thumbnail [100%x225]
Alexandre Almeida
Alexandre Almeida

​ Guitarrista, Compositor e Produtor Musical. Estudou na Escola Profissional de Música do Porto no curso de guitarra clássica. Trabalhou com Pedro Abrunhosa e os Bandemonio, Fingertips, Ezspecial, André Indiana, Mundo Secreto, Alberto Indio, Weatherman,Turbojunkie, Jorge Cruz, Manoel de Oliveira, El Comediants, Nuno Ribeiro, Delta blues riders ,entre outros...

Thumbnail [100%x225]
Marco Lopes
Marco Lopes

Marco Lopes é músico, professor/educador na área da bateria na JAHAS-Rockschool Porto. Iniciou o seu percurso na música aos 14 anos, sendo o seu primeiro instrumento o saxofone, ingressou com 15 anos no Conservatório Regional de Gaia onde completou o 5º grau. Em 1998 iniciou os estudo de bateria, tendo aprofundado este novo percurso ,estudando com alguns bateristas portugueses de renome. Em 2006 ingressou na escola de Jazz do Porto onde estudou combo e harmonia com o professor Pedro Barreiros. Em 2010 ingressou na ESMAE onde frequentou o curso de Jazz – Variante Bateria, tendo estudado com o mestre Michael Lauren. Estudou ainda em contexto masterclass com bateristas tais como: Peter Erskine, Billy Cobham, Alexandre Frazão entre muitos outros.

Thumbnail [100%x225]
André Hollanda
André Hollanda

Começou, por um acaso, aos 15 anos com concertos regulares todos os fins de semana. Autodidacta, estudou uns anos mais tarde com Brendan Hemsworth, Koen Van Esch e Michael Lauren. Tocou com ZEN, Jorge Palma, GNR, X-Wife, Mind Da Gap, André Indiana, Sizo, CRU, entre outros. Gravou discos com ZEN, Jorge Palma, André Indiana, Carlos Ann, CRU e a Missa Do Galo de Carlos Tê. Partilhou o palco com artistas como Rage Against The Machine, Stone Temple Pilots, Queens Of The Stone Age, Jamiroquai, Arctic Monkeys, Franz Ferdinand, Robert Plant, Xutos & Pontapés, Clã, Ornatos Violeta, Da Weasel ou Mão Morta. Trabalhou em música para peças de teatro, documentários e exposições de arte. Frequentou a Escola Profissional De Música de Espinho e tirou o Master De Produção Musical na Microfusa, em Barcelona. Deu aulas de Produção Musical na Universidade Católica Portuguesa, Porto.

Thumbnail [100%x225]
João Mascarenhas
João Mascarenhas

João Eduardo Mascarenhas de Faria nasceu na cidade da Guarda. Estudou no Conservatório de Música da Cidade da Guarda, frequentou a Licenciatura de Produção e Tecnologias da Música pela Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto e é licenciado em educação musical pela Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico da Guarda. Desde 2001 aprofundou conhecimentos na área da música erudita, jazz, música latino-americana, música eletrónica e tecnologias da música, tendo participado em diversos projetos como pianista e teclista (Uno Eskimo; Fado Violado; Papillon; Outorga - tributo a Miguel torga; Bilan; Ricardo Carriço; Noé Gavina Trio; Rádio clube nora e Carioca de limão). Foi diretor musical da peça “Separações” do Seiva Trupe e do “Grande Musical da Química” no ano internacional da química.

O Teatro Musical resulta da combinação de três áreas artísticas: Teatro, Dança e Música. Desde o início da sua existência que esta é uma arte muito apreciada pelo público em geral. Ao aliar a dança e a música à representação, o teatro musical permite ao espetador experienciar novas sensações.

O curso Level 3 Extended Certificate in Creative and Performing Arts foi concebido para dotar os alunos com os conhecimentos e competências necessários para uma progressão no acesso ao ensino superior na área das artes do espetáculo, nomeadamente em Teatro Musical.

Durante a formação, os alunos vão explorarar e desenvolver a sua criatividade, enquanto adquirem ferramentas técnicas e conteúdos específicos nas áreas da representação, dança e canto. Para além disso, os formandos terão contacto com a indústria criativa nacional e internacional através de workshops, masterclasses e visitas de estudo. A estrutura rigorosa e a certificação exigente conferem ao curso o reconhecimento esperado.

CRÉDITOS UCAS

OS UCAS (Universities and Colleges Admissions Service) gerem o processo de candidatura para as universidades britânicas e são um dos requisitos de entrada essencial para quem pretende prosseguir os seus estudos no nível superior, atribuindo um valor numérico à relação de cada qualificação e a respetiva nota final.

No quadro seguinte poderás encontrar os créditos máximos que podes ter no final deste curso.

DURAÇÃO

1 Ano

REGIME

Part-Time

METODOLOGIA

Presencial

PÚBLICO-ALVO

Maiores de 16 Anos

CERTIFICAÇÃO

RSL Awards e DGERT

INÍCIO

Outubro 2020

Responsive image
Responsive image
MÓDULOS
CÓDIGO QUALIFICAÇÃO [VQ]

601/8201/5

ÁREA [DGERT]

[212] Artes do Espetáculo

REQUISITOS DE ADMISSÃO

9º Ano de Escolaridade

Entrevista/Audição onde o candidato deve demonstrar as suas motivações e aptidões.

Conclusão com aproveitamento positivo no Foundation

OU

Audição de Interpretação, Dança e Canto aprovada pelo corpo docente

Nas aulas de Interpretação, os alunos são desafiados a potenciar as suas capacidades de representação através de jogos, exercícios e dinâmicas de grupo. São componentes desta disciplina o trabalho da voz falada, movimento e fisicalidade, improvisação, texto dramático, estudo e criação de personagens, reportório de teatro clássico e de teatro musical.

Nas aulas de dança são trabalhadas componentes técnicas - tendo como bases o ballet e a dança jazz - condicionamento físico, criatividade e expressão individual. A este trabalho juntam-se o reportório coreográfico de teatro musical e o sapateado.

A disciplina de Coro/Projeto trabalha com os alunos temas de teatro musical em solos, duetos, trios e coro, desenvolvendo as suas capacidades auditivas e musicais, e explorando o trabalho de ensemble.

As formações complementares acrescentam ao currículo do curso conteúdos que complementam as disciplinas base acima descritas. Estas unidades são lecionadas por professores convidados ligados às várias áreas criativas e de produção de espetáculos de teatro musical. Nesta disciplina, os alunos poderão ter componentes como sapateado, danças de salão, clown, manipulação de objetos, coro ligeiro, entre outras. Terão também a oportunidade de ter contacto com produtores e criadores artísticos.

As aulas de canto são individuais. Nelas é trabalhada a voz cantada adquirindo as técnicas necessárias para um uso correto e eficaz do aparelho fonador. Este trabalho é feito com recurso a reportório de teatro musical.

FORMADORES
Thumbnail [100%x225]
Luís David
Luís David

​Licenciado em Teatro – Interpretação pela Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo (ESMAE) e pós-graduado em Teatro e Comunidade. Começou a sua formação artística aos 18 anos na Academia de Música de Vilar do Paraíso (AMVP). Através da AMVP participou nos musicais “O Rei Leão”, “Grease”, “Aladdin Jr.” e “José e o Deslumbrante Manto de Mil Cores”. Durante dois anos integrou a companhia de Filipe la Féria nos musicais “A Gaiola das Loucas”, “Feiticeiro de Oz”, “Annie”, “Peter Pan” e “O Melhor de La Féria”. É co-criador dos musicais originais “A Maldição de Salieri”, “O Mistério do Fondant” e “A Menina Luz”. Através da Orquestra das Beiras fez “A Bela e o Monstro”, “Aladino” e “A Pequena Sereia”. Com a AMlive fez “A Branca de Neve no gelo” e “A Bela e o Monstro no gelo. Com a Elenco Produções destaca os espetáculos “Operação Bussaco”, “A Gata Borralheira”, “Zorro”, “A Ilha do Tesouro”, “Entre o Céu e a Terra”, “A Volta ao Mundo em 60 Minutos” e a participação, criação e organização de vários Pocket Shows. Fez parte do elenco do musical do “Panda e os Caricas”. Com a OUTPUT criou e desenvolveu vários eventos e espetáculos para o Shopping Cidade do Porto. Desde 2016 que é coordenador do Departamento de Artes Performativas da JAHAS – RockSchool Porto, onde também leciona a disciplina de Teatro Musical. Recentemente colaborou com a Universidade de Aveiro como professor e encenador na Licenciatura de Música.

Thumbnail [100%x225]
Nuno Martins
Nuno Martins

Tem o curso de Teatro Musical pela American Musical and Dramatic Academy de Nova Iorque. Participou em vários espectáculos de Filipe Lá Feria, tais como: Jesus Cristo Superstar, Música no Coração, Um Violino no Telhado, entre outros. Pelo Teatro Experimental do Porto fez Os Maias, Felizmente Há Luar, Morgado de Fafe Amoroso e A Morte de um Caixeiro Viajante com encenação de Gonçalo Amorim. Participou ainda em Scents of Light (de Artur Guimarães), Rent, Rapazes Nus a Cantar, entre outros. Com a Elenco Produções fez os espectáculos Zorro, Aladino, Entre o Céu é a Terra e A Ilha do Tesouro. De 2012 a 2019 colaborou com a ETCetera Teatro em vários espectáculos, tais como: Os Maias, O Gato Malhado e a Andorinha Sinhã, Luis- o Homem e o Poeta, entre outros. É Director Musical e tradutor da Cinemágica, onde também empresta a sua voz a vários desenhos animados. É professor de música e teatro musical. O seu ídolo é ele próprio daqui a 10 anos!

Thumbnail [100%x225]
André Lacerda
André Lacerda

Licenciado em Música, variante Canto, pela Universidade de Aveiro e mestre em Interpretação Artística e Ensino da Música pela ESMAE. Participou em diversos espectáculos musicais como Jesus Christ Superstar, Um violino no telhado, West Side Story, Annie, Aladdin, A ilha do tesouro, Rock – o som do Natal, O meu pé de laranja lima, A estrela, O feiticeiro de Oz, O sítio do pica-pau amarelo, entre outros. Colabora regularmente com várias orquestras e produtoras nacionais e internacionais.

Thumbnail [100%x225]
Daniela Ferreira
Daniela Ferreira

Realizou estudos em dança jazz, teatro musical, dança moderna, dança contemporânea, hip hop, expressão dramática, dança criativa e ballet clássico. Adquiriu tais competências em escolas nacionais e internacionais, entre elas: London Studio Center, Pineaple Dance Studios, Madrid Dance Center, Centro de Dança do Porto, Academia Gimnoarte Em 2018 e 2019 o seu trabalho foi distinguido com vários prémios nas finais mundiais das competições YAGP - Youth American Grand Prix e DWC - Dance World Cup, com coreografias apresentadas em Paris e Nova Iorque (2018, 2019). Recentemente coreografou os espetáculos: Como Perder Um País (2021) – Momento Artistas Independentes. Oz - A História não contada (2019) Jangada Teatro O Feiticeiro de Oz – Um Musical de Encantar (2017) Plateia D’Emoções Sister Act – O Musical (2017) Jangada Teatro O Principezinho (2017) – Jangada Teatro A Maldição do Conde de St. Germain (2017) – Produção Independente Música no Coração – O Musical (2016) – Jangada Teatro Realizou trabalho de apoio de movimento, construção de personagem em: Diário de um Louco (2019) - Primeira Pedra Loucos Por Amor (2019) - Primeira Pedra Participou no Teatrau – VI Mostra de Teatro dos Países e Regiões de Língua Portuguesa, em Macau (2019) com a Primeira Pedra Teatro, como coreógrafa e formadora. Participou como bailarina em vários musicais e eventos destacando-se: Fame (2005/2006) Alladin Jr. (2008) Pinóquio (2008) José e o Deslumbrante Manto de Mil Cores (2009) Gala Internacional das 7 maravilhas com Jennifer Lopez (2007) Cheerleader no Campeonato Europeu de Futsal – UEFA (2007) Lançamento das linhas de óculos, relógios e care da ADIDAS (2007) Moda Famalicão (2004) Actualmente leciona aulas de dança Jazz, Teatro Musical, Dança Criativa e Contemporâneo em várias escolas no norte do país.

Thumbnail [100%x225]
Rita Brandão
Rita Brandão

Nasceu no Porto em 1983. Licenciou-se em Teatro- Interpretação e Encenação pela ESAP- Escola Superior Artística do Porto e desde então tem procurado realizar vários Workshops que complementem a sua formação artística, entre eles o de Direcção de Actores, o de Caracterização e o de Canto. Possui ainda o Curso de Design de Moda do Citex- Centro Profissional da Indústria Têxtil, Porto. No seu percurso como actriz tem participado em vários projectos como ateliers de Expressão Plástica e de Expressão Dramática, Publicidade, uma Curta-metragem e inúmeros espectáculos teatrais, tendo sido dirigida por diversos encenadores. Adquiriu, em 2016, o CCP- Certificado de Competências Pedagógicas pela ENA- Escola de Negócios e Administração em V.N. de Gaia.

O Curso de Música Moderna Nivel 3 caracteriza-se por serem mais intensivos, oferecendo a possibilidade de ter uma experiência de ensino mais completa e personalizada, de forma a adquirir competências e conhecimentos para integrar na indústria da música ou o ingresso no ensino superior.

O “Subsidiary Diploma for Music Practitioners” oferece uma formação prática em diferentes disciplinas tais como performance, produção musical, técnicas de ensaio, composição, teoria musical, indústria musical, etc. essenciais para um futuro percurso profissional.

Este curso atribui créditos UCAS no final da formação e equivale a 2 níveis A no caso de o candidato querer prosseguir os estudos em Inglaterra.

Na RockSchool Porto há a oportunidade de aprender num ambiente criativo e colaborar com músicos profissionais em vários contextos, desenvolvendo habilidades que serão materializadas em apresentações que ocorrerão em diversos âmbitos, criando assim fortes ligações à industria.

CRÉDITOS UCAS

OS UCAS (Universities and Colleges Admissions Service) gerem o processo de candidatura para as universidades britânicas e são um dos requisitos de entrada essenciais para quem pretende prosseguir os seus estudo no nível superior, atribuindo um valor numérico à relação de cada qualificação e a respectiva nota final.

No quadro seguinte poderás encontrar os créditos máximos que podes ter no final deste curso.

Mais Info:

DURAÇÃO

2 Anos

REGIME

Part-Time

METODOLOGIA

Presencial

PÚBLICO-ALVO

Maiores de 16 Anos

CERTIFICAÇÃO

RSL Awards e DGERT

INÍCIO

Outubro 2020

Responsive image
Responsive image
MÓDULOS
CÓDIGO QUALIFICAÇÃO [VQ]

600/6613/1

ÁREA [DGERT]

[212] Artes do Espetáculo

CRÉDITOS

95

REQUISITOS DE ADMISSÃO

9º Ano de Escolaridade

Grau mínimo de instrumento: 5º GCSE

Entrevista/Audição onde o candidato deve demonstrar as suas motivações e aptidões.

Este módulo tem como objetivo melhorar a capacidade técnica do formando no instrumento, bem como, criar uma rotina de trabalho entre formando e formador, adaptada e desenhada de acordo com as necessidades específicas individuais que surgem. Serão abordados assuntos como equipamentos e material, desenvolvimento técnico, adaptação estilística, improvisação e leitura.

Neste módulo será abordado o trabalho em conjunto, materializando-se este na preparação de apresentações em concerto. Neste módulo será abordado o trabalho em conjunto, materializando-se este na preparação de apresentações em concerto. Será desenvolvido um método que aborda formas de lidar com o público, apresentação e postura em palco e trabalho colaborativo (composição e técnicas de ensaio). No final da unidade os candidatos terão desenvolvido as suas competências nas áreas da Performance, das suas competências nos instrumentos respetivos, na área da saúde e segurança no palco, na comunicação e na sua capacidade de análise e autoanálise.

Neste módulo será abordado o trabalho em conjunto, materializando-se este na preparação de apresentações em concerto. Será desenvolvido um método que aborda formas de lidar com o público, apresentação e postura em palco e trabalho colaborativo (composição e técnicas de ensaio). No final da unidade os candidatos terão desenvolvido as suas competências nas áreas da Performance, das suas competências nos instrumentos respetivos, na área da saúde e segurança no palco, na comunicação e na sua capacidade de análise e autoanálise.

Estes dois módulos abordam a composição e arranjo da música, assim como toda a carga teórica adjacente a estas áreas. Na primeira metade desta disciplina o trabalho executado será mais individual, para mais tarde ser aplicado em metodologias de conjunto. Serão abordadas áreas como a da História da Música e métodos de composição aplicados a diferentes estilos (Clássico, Jazz, Pop, Rock, entre outros). Haverá também uma carga teórica valiosa, passando por áreas como Harmonia (Chord voicings, voice leading, escrita coral), Melodia (contra-ponto, contorno melódico, sequências e motivos) e Ritmo (leitura rítmica, poliritmos, compassos simples e compostos).

Com este módulo o formando praticará a sua escuta ativa e, através da educação auditiva, alargará a sua cultura musical e compreensão da história da música moderna. Os formandos construirão uma perspetiva pessoal e informada sobre a história da música até aos dias de hoje, elaborando análises estilísticas e enquadrando os mais importantes trabalhos discográficos que influenciaram os artistas de hoje.

Neste módulo será explorada a relação do artista moderno com os media. Serão abordados temas como a imagem, promoção, publicação e rentabilização da música, assim como o mercado e as práticas dos tempos de hoje no que toca ao que pode ser a fonte de rentabilidade para um músico. É um módulo desenhada para fornecer aos formandos competências que melhor lhes permitirão colocar-se no mercado, divulgar o seu trabalho e rentabilizá-lo nas condições necessárias para a subsistência.

FORMADORES
Thumbnail [100%x225]
Francisco Rua
Francisco Rua

Começou os seus estudos na área da guitarra clássica aos 10 anos de idade, e mais tarde descobriu a guitarra e baixo elétricos, assim como a guitarra acústica de cordas de aço. Estudou com nomes como Thomas Leeb ou Don Ross, e já frequentou formações com músicos como Guthrie Govan e Tom Quayle. Formou-se em Design de Som, tendo-se especializado na composição de música para Cinema. Já escreveu música para marcas como a Clinique ou a Schmitt+Sohn. Acabou por se afastar da área para se focar no ensino. Em 2010 editou o disco de guitarra a solo Pontes, e em 2018 Desassossego. Já apresentou a sua música um pouco por toda a parte.

Thumbnail [100%x225]
Pedro Vieira
Pedro Vieira

Licenciado em Educação Musical pela Escola Superior de Educação do Porto e em Produção e Tecnologias da Música pela Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo. Estudou na Academia de Música de Lamego, no Conservatório de Música do Porto e na Escola de Jazz do Porto. Atualmente para além da sua atividade como professor, participa em diversos projetos musicais como músico, produtor, engenheiro de gravação e mistura.

Thumbnail [100%x225]
Diana Martinez
Diana Martinez

​ Formada em Línguas pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto estudou ainda na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto e no Complete Vocal Institute, de Catherine Sandolin, em Copenhaga. Canta e escreve na língua que a ensinou a cantar. Colaborou com artistas de renome nacional como Pedro Abrunhosa, Expensive Soul, Valete, We Trust e Souls of Fire, mas é com os The Crib que Diana procura o seu lugar na música portuguesa. Lançou em 2017 o seu primeiro disco de originais “How We Do It”.

Thumbnail [100%x225]
Alexandre Almeida
Alexandre Almeida

​ Guitarrista, Compositor e Produtor Musical. Estudou na Escola Profissional de Música do Porto no curso de guitarra clássica. Trabalhou com Pedro Abrunhosa e os Bandemonio, Fingertips, Ezspecial, André Indiana, Mundo Secreto, Alberto Indio, Weatherman,Turbojunkie, Jorge Cruz, Manoel de Oliveira, El Comediants, Nuno Ribeiro, Delta blues riders ,entre outros...

Thumbnail [100%x225]
Marco Lopes
Marco Lopes

Marco Lopes é músico, professor/educador na área da bateria na JAHAS-Rockschool Porto. Iniciou o seu percurso na música aos 14 anos, sendo o seu primeiro instrumento o saxofone, ingressou com 15 anos no Conservatório Regional de Gaia onde completou o 5º grau. Em 1998 iniciou os estudo de bateria, tendo aprofundado este novo percurso ,estudando com alguns bateristas portugueses de renome. Em 2006 ingressou na escola de Jazz do Porto onde estudou combo e harmonia com o professor Pedro Barreiros. Em 2010 ingressou na ESMAE onde frequentou o curso de Jazz – Variante Bateria, tendo estudado com o mestre Michael Lauren. Estudou ainda em contexto masterclass com bateristas tais como: Peter Erskine, Billy Cobham, Alexandre Frazão entre muitos outros.

Thumbnail [100%x225]
André Hollanda
André Hollanda

Começou, por um acaso, aos 15 anos com concertos regulares todos os fins de semana. Autodidacta, estudou uns anos mais tarde com Brendan Hemsworth, Koen Van Esch e Michael Lauren. Tocou com ZEN, Jorge Palma, GNR, X-Wife, Mind Da Gap, André Indiana, Sizo, CRU, entre outros. Gravou discos com ZEN, Jorge Palma, André Indiana, Carlos Ann, CRU e a Missa Do Galo de Carlos Tê. Partilhou o palco com artistas como Rage Against The Machine, Stone Temple Pilots, Queens Of The Stone Age, Jamiroquai, Arctic Monkeys, Franz Ferdinand, Robert Plant, Xutos & Pontapés, Clã, Ornatos Violeta, Da Weasel ou Mão Morta. Trabalhou em música para peças de teatro, documentários e exposições de arte. Frequentou a Escola Profissional De Música de Espinho e tirou o Master De Produção Musical na Microfusa, em Barcelona. Deu aulas de Produção Musical na Universidade Católica Portuguesa, Porto.

Thumbnail [100%x225]
João Mascarenhas
João Mascarenhas

João Eduardo Mascarenhas de Faria nasceu na cidade da Guarda. Estudou no Conservatório de Música da Cidade da Guarda, frequentou a Licenciatura de Produção e Tecnologias da Música pela Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto e é licenciado em educação musical pela Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico da Guarda. Desde 2001 aprofundou conhecimentos na área da música erudita, jazz, música latino-americana, música eletrónica e tecnologias da música, tendo participado em diversos projetos como pianista e teclista (Uno Eskimo; Fado Violado; Papillon; Outorga - tributo a Miguel torga; Bilan; Ricardo Carriço; Noé Gavina Trio; Rádio clube nora e Carioca de limão). Foi diretor musical da peça “Separações” do Seiva Trupe e do “Grande Musical da Química” no ano internacional da química.